hybris, 2019

São Paulo - SP 

“hybris”

(termo grego que significa o desafio, o crime do excesso e do ultraje, traduz-se num comportamento de provocação à ordem estabelecida ou a violação das leis da natureza)

   

A série “Hybris”, composta por cinco imagens, nasce de um processo de reinterpretação de registros fotográficos com planos fechados da floresta nativa, do próprio arquivo pessoal. Estes registros selecionados, são os que o olhar procura no campo visual da floresta, padrões de linearidade e geometria. Posteriormente estes registros são reorganizados de forma a ampliar seu caráter geométrico, mas sem perder as propriedades formais orgânicas da natureza. 

De plano de fundo, a textura de cor dourada com diferentes variações de luminosidade e enquadramento, simulam, ainda que sutilmente como em uma pintura impressionista, a luz que atravessa o ambiente da mata.

A transparência da vegetação e o caráter envelhecido da textura metálica apontam a dimensão temporal e orgânica de uma visão surrealista do ambiente natural.

O trabalho representa a visão de uma provocação à ordem natural ou às leias da natureza, onde as formas e o espaço foram reconstruídos dramaticamente, nas escalas cromáticas e geométricas da realidade física.

CAIO SIQUEIRA

13.03.2019

Hybris I.jpg

ESTUDO I - ποταμού

Múltiplas exposições de fotografia digital

Tiragem 1/3

Hybris II.jpg

ESTUDO II- ποταμού

Múltiplas exposições de fotografia digital

Tiragem 1/3

Hybris III.jpg

ESTUDO III- ποταμού

Múltiplas exposições de fotografia digital

Tiragem 1/3

Hybris IV.jpg

ESTUDO IV ποταμού

Múltiplas exposições de fotografia digital

Tiragem 1/3

Hybris V.jpg

ESTUDO V ποταμού

Múltiplas exposições de fotografia digital

Tiragem 1/3